Estriol Livre

A maior parte do estriol circulante excretado durante o terceiro trimestre gravidez é resultado da produção do feto e da placenta, originado de um precursor sintetizado no feto pelas cápsulas supra renais e transformado pelo fígado fetal e placenta em estriol. Ao transpor a placenta este é rapidamente metabolizado, de início pelo fígado materno em formas conjugadas: sulfatos de estriol e glucoronidos. Como resultado obtemos o estriol livre, forma não conjugada que representa cerca de 9% do estriol total em circulação; os sulfatos de estriol, que tem uma vida média relativamente longa, representam aproximadamente metade desse valor. Em geral, à medida que o feto se desenvolve a produção de estriol aumenta, no ultimo trimestre o nível de estriol na circulação aumenta cerca de três vezes; há também um aumento dos níveis de estriol urinário. Há um pico característico na 36° semana. Após a 40° semana os níveis de estriol diminuem gradativamente. Níveis persistentemente baixos ou com acentuada queda podem indicar problemas fetais.

  • Material:

    Sangue

  • Preparo:

    Jejum não obrigatório

Código CBHPM: 40316254

Resultados