IgA, Imunoglobulina A

As imunoglobulinas são sintetizadas pelas células plasmáticas como resposta imunitária humoral a um contato do sistema imunitário com antígenos. Num primeiro contato são produzidos, como reação primária, anticorpos da classe das IgM, depois anticorpos IgG e IgA. Valores aumentados de IgA estão presentes na síndrome de Wiscott-Aldrich, mieloma múltiplo de IgA, cirrose hepática e certos estágios da doenças autoimunes. Valores reduzidos são encontrados na síndrome nefrótica, gastroenteropatias com severas perdas proteicas, certas leucemias, ataxia-teleangiecyasia e agamaglobulinemia adquirida.
A IgA está presente no sangue e líquidos orgânicos como saliva, leite materno, colostro, lágrima e líquor (líquido que protege o cérebro e a medula espinhal), bem como em secreções respiratórias, intestinais, genitais e urinárias.
A IgA das secreções difere da IgA da circulação sistêmica por possuir um determinante antigênico extra, ausente na IgA sérica, chamada peça secretora (PS). A molécula de PS é sintetizada em células secretoras da membrana mucosa e epitélio glandular e a ligação da PS com a IgA pode ocorrer no citoplasma das células epiteliais, no espaço intercelular ou no lúmen das glândulas acinares e ductos. A fusão da PS com a IgA facilita o transporte da IgA para a superfície epitelial, fazendo com que a IgAS seja mais resistente à proteólise do que a IgA sérica. A existência desse sistema imune secretor comum manifesta na especificidade da resposta do anticorpo em vários outros fluídos secretórios que, usualmente, refletem exposição prévia intestinal ao antígeno.
Os valores de imunoglobulinas estarão aumentados no líquor em três situações: aumento dos níveis de imunoglobulinas do sangue, comprometimento da barreira hematoliquorica e síntese local. Valores aumentados são encontrados em paraproteineminas, quando o aumento das imunoglobulinas no líquor é devido aos altos níveis de paraproteinas no sangue. Em geral, ocorre em casos de mielomas tipo IgG e IgA. Também ocorrem em casos de leptomeningites agudas, bacterianas ou virais, encefalites agudas, doenças cerebrovasculares, tumores, diabetes e lúpus eritematoso sistematizado. Aumentos decorrentes de comprometimento da barreira hematoliquorica acontecem em casos de tumor cerebral, hemorragia intracerebral, meningite, encefalite e infecções bacterianas. A síntese local de imunoglobulinas é importante no diagnóstico de doenças do sistema nervoso central.

  • Material:

    Sangue

  • Preparo:

    Jejum não obrigatório.

  • Material:

    Urina amostra isolada

  • Preparo:

    - De preferência a 1ª urina da manhã ou com retenção urinária de no mínimo 2 horas.
    - Fazer uma higienização na região, com água e sabonete. Enxaguar e secar.
    - Desprezar o 1º jato de urina no vaso sanitário e sem interromper o jato (sem fazer pausa), colher o jato do meio no frasco estéril disponibilizado pelo laboratório (aproximadamente metade do frasco) e desprezar o final no vaso.
    - Fechar o frasco imediatamente e encaminhar ao laboratório em até 40 minutos (em temperatura ambiente) ou até 2 horas refrigerado (em uma caixa de isopor com gelo, por exemplo).

  • Material:

    Saliva

  • Preparo:

    Saliva In natura:
    - Colher 1,0 mL de saliva por aspiração, usando uma seringa descartável (sem agulha) nos casos de crianças ou pacientes incapacitados, ou simplesmente solicitar ao paciente que deixe a boca acumular saliva, eliminando-a no frasco de coleta. 
    - O uso de 1 ou 2 gotas de limão estimula a salivação, facilitando a obtenção da amostra. 
    Saliva em tubo Salivette:
    - Por um período de 30 minutos antes da coleta não será permitido qualquer tipo de alimentação ou bebida. 
    - Imediatamente antes da coleta e aconselhável lavar a boca com água através de bochechos leves. 
    - A coleta não é recomendável em caso de lesões orais com sangramento ativo ou potencial. 
    - Evitar escovar os dentes pelo menos duas horas antes da coleta para evitar sangramento gengival. 
    - Remova a tampa superior do tubo. 
    - Coloque o algodão, presente no recipiente suspenso, debaixo da língua e aguarde um período médio de 2 a 3 minutos de forma a encharcar o algodão. Se preferir, pode mastigar levemente o algodão, mantendo-o o máximo possível embebido com saliva. Durante esse período de coleta não é permitido ingestão de água, alimento ou qualquer tipo de líquido. 
    - A amostra em quantidade satisfatória deve encharcar o algodão com saliva. 
    - Retorne o algodão para o interior do recipiente suspenso, fechando com a tampa logo a seguir. 
    - O tubo pode ser encaminhado imediatamente ao laboratório sem refrigeração. No entanto, em casos onde o transporte não será efetuado imediatamente, aconselha-se a refrigeração da amostra entre 2 a 8 °C. A amostra refrigerada poderá ser recebido no laboratório com até 48 horas da coleta. 

  • Material:

    Líquor

  • Preparo:

    A coleta deste material é um procedimento médico não realizado pelo laboratório.

Código CBHPM: 40307220/40307239/40324478

Resultados